Mal de Parkinson: saiba como identificar a doença

O mal de Parkinson é uma doença que atingi o sistema nervoso central e que afeta a capacidade do cérebro de controlar os movimentos do corpo, se caracterizando pela destruição dos neurônios, levando a uma escassez de dopamina no sistema nervoso central e, consequentemente, a um distúrbio dos movimentos.

A patologia, que predominantemente atingi idosos a partir de 60 anos, é caracterizada por tremores, rigidez muscular, lentidão dos movimentos e instabilidade postural. Com o decorrer dos anos, e com o avanço da doença cerca de 80% dos pacientes apresentam algum grau de demência e de incapacidade física, que incluem alterações do sono, depressão, ansiedade, memória fraca, alucinações, psicose, perda do olfato, constipação intestinal, dificuldades para urinar, impotência sexual, raciocínio lento e apatia.

Entre as causas que podem levar uma pessoa a desenvolver o mal de Parkinson, estão: histórico familiar e traumas no crânio. A exposição a alguns produtos químicos a longo prazo também pode ser um fator de alto risco para o desenvolvimento da doença.

Apesar de ainda não haver cura, existem medicamentos que são muito eficazes no controle dos sintomas.

Os sinais e sintomas do mal de Parkinson podem ser divididos em duas categorias: motores e não-motores.

Sintomas Motores:

Tremores – ocorrem principalmente quando o paciente encontra-se em repouso e melhora quando ele movimenta os membros. O tremor em repouso é o sintoma inicial do mal de Parkinson em 70% dos casos. Com o evoluir da doença, praticamente todos os pacientes apresentarão algum grau de tremor.

Bradicinesia: caracterizado pela lentidão dos movimentos. A bradicinesia é o sintoma mais incapacitante do Parkinson. O paciente sente-se cansado, com intensa fraqueza muscular e sensação de falta de coordenação motora.

Rigidez: a rigidez dos músculos é outro sintoma importante do mal de Parkinson. Assim como o tremor e a bradicinesia, a rigidez inicia-se apenas de um lado, generalizando-se de acordo com progressão da doença.

Instabilidade postural: a perda da estabilidade postural é um sintoma que só ocorre em fases já avançadas da doença de Parkinson, manifestando-se principalmente com quedas regulares.

Sintomas não-motores

São as alterações neurológicas como demência, alterações do sono, depressão, ansiedade, memória fraca, alucinações, psicose, perda do olfato, constipação intestinal, dificuldades para urinar, impotência sexual, raciocínio lento e apatia.

Além do tratamento medicamentoso,  a prática de exercícios regulares é muito importante para retardar os sintomas motores da doença.

Ao identificar alguns dos sintomas, procure atendimento médico para o diagnóstico e tratamento clínico da doença.