Morre ativista que liderou denúncias contra João de Deus: suicídio é uma das linhas de investigação

Aos 38 anos de idade a ativista brasileira Sabrina de Campos Bittencourt, que recentemente ganhou notoriedade ao coletar diversas denúncias de abuso sexual contra o médium João de Deus, teria sido encontrada sem vida. A suspeita é de que Sabrina tenha tirado a própria vida na noite do sábado (2 de fevereiro). A confirmação e a possível causa da morte vieram através de um comunicado da ONG Vítimas Unidas, na qual a brasileira trabalhava. “O grupo Vítimas Unidas comunica com pesar o falecimento de Sabrina de Campos Bittencourt ocorrido por volta das 21h deste sábado, 02 de fevereiro, na cidade de Barcelona, na Espanha, onde vivia. A ativista cometeu suicídio e deixou uma carta de despedida relatando os porquês de tirar sua própria vida. Pedimos a todos que não tentem entrar em contato com nenhum integrante da família, preservando-os de perguntas que sejam dolorosas neste momento tão difícil. Dois dos três filhos de Sabrina ainda não sabem do ocorrido e o pai, Rafael Velasco, está tentando protege-los. A luta de Sabrina jamais será esquecida e continuaremos, com a mesma garra, defendendo as minorias, principalmente as mulheres que são vítimas diárias do machismo”.

A última publicação de Sabrina em uma de suas redes sociais reforça a hipótese do suicídio, o texto foi publicado no mesmo dia em que Sabrina foi encontrada já sem vida e dá indícios de uma carta de despedida, mas depois foi retirado da página.

Sabrina teria sofrido o primeiro abuso sexual com apenas 4 anos de idade. Em recente matéria da revista Marie Claire  Sabrina contou sobre a vida de abusos e como se tornou uma das principais vozes de apoio a vítimas de abuso sexual. Ela ainda confirmou que estava em tratamento contra um câncer no sistema linfático e afirmou que devido a ameaças de morte, vivia fora do Brasil e se mudava frequentemente.

Sabrina fazia parte de um grupo que no final do ano passado, divulgou diversas acusações de abuso sexual que teriam sido praticados pelo médium João Teixeira de Faria, 76, mais conhecido como João de Deus, em Abadiânia, interior de Goiás.

Até o momento as autoridades brasileiras da Espanha não haviam confirmado o falecimento. Nas redes sociais amigos e familiares fazem homenagens e lamentam a morte precoce da ativista.